Falar com o Rondi

Blog

#Mude #Reaja #SejaIntencional

Nos 3 primeiros anos de casados, 3 mudanças. (adicione uma mudança: solteiro-casado). Quando saí de casa, levei na bagagem coisas que já fazia tempo que guardava acreditando que “precisaria”. Você também é assim.

Na segunda mudança, ainda guardava coisas que não tinha utilizado. O apego era grande. “um dia eu ainda precisarei disso”. Nesta casa, a descoberta: Eu, que sempre censurei pessoas que acumulam tralhas, estava virando um “tralheiro”. Eu não via mais espaços nos cantos para caber coisas novas. Além dos típicos “quartos da bagunça”, normalmente escondidos, agora havia acúmulo de coisas onde houvesse brecha.

Na terceira mudança… naquele arruma, desarruma muito cansativo, refleti: “Se não usei até hoje, possivelmente nunca usarei”. Comecei o desapego. Dei coisas, vendi algumas e outras simplesmente joguei. Nunca me fizeram falta, mas ainda assim mantive certo apego com algumas coisas que “poderia” utilizar no futuro”. A quarta mudança chegou e com ela a decisão: “Tudo que eu nunca usei até hoje eu me desfarei. Sem apego, sem pensar muito”. Metaforicamente, lembrava do processo mental de constante mudança que vivemos, onde para recebermos coisas novas, precisamos abandonar as velhas.

Virei a chave e nunca senti falta de nada que dei, vendi ou joguei. Objetos que eu carreguei anos da vida, sem a menor utilidade, que ocupavam apenas espaços que não davam lugar às melhores coisas.

Conheço pessoas “tralheiras” de coisas, que invariavelmente arrastam correntes por toda a vida. Seria a atitude física, reflexo da emocional ou vice-e-versa? Não sei.

Mas algo sei. No capítulo 9 do evangelho de Lucas, Jesus comissiona os discípulos para “uma viagem.” Ele é categórico ao orientar que “certas coisas não deveriam ser levadas.” Não irei filosofar sobre os motivos pelos quais eles receberam esta orientação, mas deixo o pensamento: Jesus tem te comissionado para uma GRANDE VIAGEM, e Ele HOJE está dizendo a você: ELIMINE URGENTEMENTE AS TRALHAS DA SUA VIDA, tantos as físicas, quanto as emocionais, você NÃO PRECISA carregar isso por mais tempo.